domingo, 18 de agosto de 2013

Notícias e generalizações - a leitura superficial dos jornais e revistas.

Acho interessante a forma acrítica, superficial e generalizante com que os "instruídos" e pseudointelectuais deste Brasil de todos os santos, fazem a leitura dos jornalões e revistas semanais. Estes e estas que mais parecem panfletos reacionários de uma mídia descompromissado com o país e com a classe trabalhadora e mais pobre.
A grande fonte de informação na nossa classe média, aspirante a burguesia, tem a capacidade de induzir estes cidadãos "cultos" a transformarem fatos muitas vezes isolados em generalizações absurdas.
Vamos aos exemplos:
- a política não presta, todos os partidos políticos são antros de corruptos;
- a polícia é formada apenas por corruptos e violentos;
- o sistema de saúde é ineficiente;
- a educação no Brasil é um caos;
E por vai.
Um país com dimensões continentais é claro tem e sempre terá problemas graves e crônicos a serem solucionados com o avançar dos anos. Não podemos de repente sair dizendo que nada funciona no país porque algo em algum canto nos confins de um estado se encontra fora do padrão estabelecido.
É muito comum ouvirmos isto na saúde. A saúde do país está falida. Está na UTI. Mas espera aí, como pode ser isto?
Não somos um dos maiores realizadores de transplantes de órgãos do mundo?
Não temos um dos melhores programas de combate a aids? Exemplo para outros países?
Como pode ser tão ruim um sistema de saúde que é universal e integral? Capaz de realizar deste um curativo até uma transplante, passando por exames de imagem, cirurgias, etc, feitos aos milhares?
Mas vai lá um fato inesperado, imprevisto, um acidente acontecer e lá vem a "grande mídia" dar destaque à "tragédia" e colocar por terra ou na escuridão todos os outros feitos.
E o que faz nosso "instruídos"? Passam a semana comentando e generalizando o caso com um ar de certeza que beira a prepotência, principalmente sobre temas que desconhecem a complexidade e profundidade, pois só conhecem a partir do que leram.
E o que leram? Opiniões, entrevistas e narrativas de fatos apresentados a partir do ponto de vista de quem escreveu. De quem selecionou a matéria, a foto, etc. Ou seja, leram um conjunto de informações selecionados por outrem, portador ou reprodutor de ideologias muitas vezes contrárias a certas políticas sociais. Algumas vezes inclusive atendendo a interesses políticos ou partidários.
Aliás esta coisa de dizer que a política não presta, que é suja é um mecanismo importante usado pelas classes dominantes para afastar o povo do centro de poder e decisões.
Portanto, é preciso ter cuidado ao sair reproduzindo o que dizem por aí.
É preciso primeiro analisar o que é dito, quem disse e de onde disse, pois como afirmaram Luckmann e Berger na sua obra A construção social da realidade: "não há pensamento humano que seja imune às influências ideologizantes de seu contexto social". Ou seja, todo ponto de vista é a vista a partir de um ponto.